Antropologias do Sul…

Os ventos que sopravam nos idos da década de 1990 anunciavam profundas mudanças políticas, econômicas e sociais nos países que acabavam de fundar o Mercosul.  Um espaço de diálogo, formação e expansão de parcerias na Antropologia entre estes países era urgente. Foi com esse espírito que o Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGAS-UFRGS) concebeu e sediou a I Reunião de Antropologia do Mercosul – RAM em 1995. 

A RAM expandiu os então consolidados encontros da chamada ABA-Sul, da Associação Brasileira de Antropologia, e atravessou as fronteiras em busca da internacionalização da disciplina. Desde então, a RAM acontece bienalmente, tendo o Uruguai sido sede por três vezes (1997, 2005 e 2015), o Brasil cinco (1995, 2000, 2003, 2007 e 2011) e a Argentina quatro (1999, 2009, 2013 e 2017). Participantes de vários outros países têm ecoado os debates da RAM para cada vez mais longe. A última edição do evento em 2017, em Posadas-Argentina, contou com representantes de 23 países, mostrando que a proporção e o impacto científico e político da RAM fazem dela um dos mais importantes eventos da Antropologia na América Latina.

Passadas mais de duas décadas, os ventos que sopram também anunciam profundas mudanças políticas, econômicas e sociais, e novos espaços de diálogo, formação e expansão da Antropologia se fazem urgentes. É com este espírito que o PPGAS-UFRGS tem a honra de receber e organizar a XIII RAM, que será realizada entre os dias 22 e 25 de julho de 2019, em Porto Alegre-RS. É chegada a hora de alargar novamente os diálogos, somar novas vozes e promover o fortalecimento das antropologias não-hegemônicas. É por isto que elegemos como tema as “Antropologias do Sul”.  

O propósito da XIII RAM é o de reunir antropologias de toda a América Latina, mas também integrar aquelas do continente africano, da Índia e de todas aquelas que encontram um lugar comum no chamado Sul Global. As agendas teóricas, metodológicas e de atuação têm sido cada vez mais definidas por debates críticos às formas de imperialismo que também moldam a academia como um todo e a antropologia em particular. Colocar em diálogo essas “antropologias do Sul” é um chamado ao fortalecimento, à luta comum, à criação e à consolidação de novas redes de colaboração, mas também de resistência e solidariedade.

Sejam todos/as muito bem-vindos/as à XIII RAM!

Comissão Organizadora  

 

Compartilhe:
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support