Os serviços públicos de saúde no Brasil são gratuitos para turistas estrangeiros. Assim, caso você apresente algum problema de saúde, basta ligar para o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), no telefone 192. A ligação é gratuita.

Cuidados básicos

• O Brasil é um país de clima tropical, por isso é recomendável a ingestão constante de líquidos, para evitar a desidratação.

• Use roupas confortáveis e proteja-se do sol com chapéu (ou boné), óculos escuros e protetor solar. Evite a exposição direta ao sol entre 10h e 16h.

• Carregue sempre repelentes contra insetos, para usar quando houver necessidade.

• Lave as mãos com água e sabão várias vezes ao dia, principalmente depois de utilizar transporte público e de visitar locais com grande circulação de pessoas.

• Evite consumir alimentos em condições precárias de preparo e acondicionamento.

• Durante passeios de bicicleta ou caminhadas, prefira levar alimentos que possam ficar sem refrigeração e que não estraguem com o calor.

Prevenção ao zika vírus

Para dificultar a ação do mosquito transmissor do zika vírus, é necessário usar repelentes e roupas de manga comprida (especialmente no início da manhã e no final da tarde). Caso surjam sintomas como febre, coceira, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dor no corpo e nas juntas ou manchas vermelhas pelo corpo, o Ministério da Saúde orienta procurar uma unidade de saúde e tomar bastante líquido.

O vírus é o principal causador do aumento de microcefalia em bebês e é preocupante principalmente para gestantes e mulheres que pretendem engravidar nos próximos meses. Assim, independentemente do destino ou motivo, toda grávida deve consultar seu médico antes de viajar.

As gestantes devem usar somente medicamentos prescritos por profissionais de saúde, fazer um pré-natal qualificado com exames previstos nessa fase, além de relatar qualquer alteração durante a gestação. Além do uso de repelentes e de roupas de manga comprida, também é recomendável evitar o acúmulo de água parada.

O Brasil traçou um Plano Nacional de Enfrentamento à doença, que envolve diferentes ministérios e órgãos do Governo Federal, em parceria com estados e municípios, para conter novos casos.

Vacinas


Para entrar no Brasil, não é obrigatório vacinar-se contra qualquer tipo de doença. No entanto, existem no país as chamadasÁreas com Recomendação de Vacinação(ACRV) nas quais é recomendável estar vacinado contra febre amarela antes da visita. A febre amarela é uma doença transmitida pela picada de mosquitos contaminados.

Assim, caso você nunca tenha tomado a vacina, é preciso tomá-la 10 dias antes da viagem (esse prazo não é necessário caso você já tenha sido vacinado anteriormente).

Em caso de dúvidas, consulte oMinistério da Saúde.

Prevenção contra malária

Segundo aOrganização Mundial da Saúde (OMS), há risco de transmissão de malária em 96 países do globo. As pessoas infectadas apresentam febre, calafrios e sintomas semelhantes à gripe no início.

No Brasil, a transmissão de malária concentra-se na Amazônia, que é composta pelos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Nessas áreas, é fundamental que você tome determinados cuidados no horário de maior atividade dos mosquitos vetores da doença (do pôr do sol até o amanhecer):

• Use roupas claras e com manga longa durante atividades de exposição elevada, como passeios de canoa, por exemplo.

• Aplique repelente nas áreas expostas da pele, seguindo as orientações do fabricante.

• Fique atento ao surgimento de sintomas da doença, como febre, dor no corpo e dor de cabeça.

• Em caso de algum sintoma da doença se manifestar, procure a unidade de saúde mais próxima. O ideal é que o atendimento seja feito em até 48 horas após os primeiros sintomas.

• Cabe ressaltar que o Brasil conta com uma rede pública de saúde estruturada para diagnosticar e tratar os pacientes de forma adequada.

Febre Amarela

Em virtude da ampliação da área de cautela em relação à febre amarela, recomendada pela OMS (Organização Mundial da Saúde), a orientação aos viajantes internacionais que vêm ao Brasil, em especial ao estado de São Paulo, passa a ser a seguinte: todos os que visitam a região (inclusive a capital paulista e o litoral) e que têm mais de nove meses de idade, devem ser vacinados. Não existe nenhuma restrição a viagens em todo o país.

Como os anticorpos protetores contra o vírus são produzidos entre o 7º e 10º dia após a administração da vacina, ela deve ser realizada no mínimo 10 dias antes da viagem, para que a pessoa seja considerada protegida. Uma dose confere proteção por toda vida. Além da vacina, outras medidas de proteção individual devem ser levadas em consideração, como o uso de calças e camisas de manga longa e de repelentes contra insetos.

O Ministério da Saúde do Brasil reforça que as áreas determinadas para vacinação no País permanecem as mesmas e que as medidas de prevenção, como intensificação da vacinação e fracionamento de doses, também continuarão sendo realizadas e atualizadas conforme as necessidades.

O vírus da febre amarela é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados. A doença não é passada de pessoa a pessoa. A vacina é a principal ferramenta de prevenção e controle da doença.

Compartilhe:
Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support